Te escrevo sem ao menos saber se um dia você irá ler, mais escrevo porque só assim consigo colocar todo esse sentimento pra fora já que não posso dizer isso olhando nos seus olhos. Falando em olhos os seus são os mais lindos que eu ja vi, sua boca me fascina e o seu sorriso é encantador.

Para alguém que talvez nunca irá ler.

 

Fechei os olhos e pedi um favor ao vento: Leve tudo que for desnecessário. Ando cansado de bagagens pesadas. Daqui para frente apenas o que couber no bolso e no coração.
Cora Coralina.   
A praia estava cheia de um vento bom, de uma liberdade. E eu estava só. E naqueles momentos não precisava de ninguém. Preciso aprender a não precisar de ninguém. É difícil, porque preciso repartir com alguém o que sinto. O mar estava calmo. Eu também. Mas à espreita, em suspeita. Como se essa calma não pudesse durar. Algo está sempre por acontecer. O imprevisto me fascina.
Clarice Lispector.